Cabo de Fibra Óptica: diferentes tipos e vantagens

Cabo de Fibra Óptica: diferentes tipos e vantagens

por Cianet | 21.08.18 | em Infraestrutura e tecnologia

Saber qual o cabo de fibra óptica utilizar em cada situação é essencial para garantir o sucesso da implementação do projeto e a segurança da infraestrutura existente. Para isso, é importante conhecer suas diferentes características e vantagens. Você sabe, por exemplo, qual é a diferença entre um cabo LSZH e um cabo COG, ou quando optar pelo tipo dielétrico ou um modelo metálico?

Esses tipos de cabo, chamados de drop, têm sido bastante utilizados no Brasil. Um dos motivos dessa expansão é o crescimento das redes FTTx (fiber to the x ou, em português, fibra para o x), que têm maior alcance e garantem uma melhor qualidade de conexão se comparadas às redes metálicas.

Como identificar os diferentes tipos de cabo de fibra óptica

Antes de falarmos sobre os tipos e as vantagens de cada cabo de fibra óptica, é essencial entender as nomenclaturas utilizadas pela legislação brasileira para esse tipo de estrutura. Os conceitos foram definidos pela Anatel em conjunto com alguns players do mercado e constam no documento Requisitos Técnicos e Procedimentos de Ensaios Aplicáveis à Certificação de Produtos para Telecomunicação de Categoria I.

Segundo a publicação, os cabos de fibra óptica devem ser identificados como CFOAC-X-W-Z-CA-K. Mas o que significa cada sigla?

  • CFOAC – cabo de fibras ópticas de acesso;
  • X – tipo de fibra óptica;
  • W – (CM –compacto metálico ou CD – compacto dielétrico);
  • Z – número de fibras ópticas;
  • CA – classe de atrito (CO – convencional ou AR – atrito reduzido);
  • K – grau de proteção ao comportamento frente à chama.

É importante verificar se essa identificação consta no certificado de conformidade do produto no momento de adquirir o cabo.

O que diferencia um cabo de fibra óptica COG de um LSZH

O COG (Cabo Óptico de Uso Geral) é utilizado geralmente em aplicações verticais, em tubulações com vários cabos e sem fluxo de ar. Por conta de suas características, ele deve obedecer à NBR6812 ou à UL 1581 - Vertical Flame Test, normas que verificam a retardância das chamas quando incidem no cabo. Sua aplicação é bastante variada, podendo ser utilizado em instalações internas, prédios comerciais, entre outros tipos de construções.

Também destinado às aplicações verticais, o LSZH (Low Smoke Zero Halogen) foi desenvolvido para proporcionar maior segurança às pessoas em caso de incêndio. Caso aconteça algum problema com fogo na edificação, ele gera pouca ou nenhuma fumaça. Como oferece menor risco de intoxicação, essa classificação de cabo não é apenas recomendada, mas exigida em locais com grande circulação de pessoas. É a solução que deve ser utilizada em centros comerciais ou casas de espetáculo, pois permite uma evacuação rápida.

Os dois modelos podem ser encontrados nas versões dielétrica ou metálica. O cabo compacto metálico, como o próprio nome sugere, é aquele que possui metal em sua composição, seja para tração ou proteção. Por conduzir energia, não é indicado para o uso em dutos, dividindo espaço com cabos elétricos.

Já o cabo compacto dielétrico é constituído apenas de elementos que não conduzem energia elétrica, portanto, é ideal para ser usado em dutos, compartilhando espaço com cabos elétricos.

Além das siglas que já tratamos, há, ainda, outras terminologias importantes para quem trabalha com cabo de fibra óptica. São elas:

  • CFOI: cabo de fibra óptica para uso interno;
  • SM (Single Mode): fibra monomodo;
  • MM (Multi Mode): fibra multimodo;
  • BLI-A/B (Bending Loss Insensitive): especificação da norma G.657 que se refere a fibras insensíveis a curvaturas. Isso significa que, mesmo que haja uma curvatura acentuada na fibra, a mesma se comporta igualmente à fibra sem curvatura.

As redes de fibra óptica oferecem uma série de vantagens, como fácil integração entre sistemas, mais velocidade, melhor qualidade de conexão e menor custo de matéria-prima. Mas para oferecer um serviço de excelência, os provedores regionais precisam conhecer seu funcionamento a fundo.

Agora que você já sabe quais são os principais tipos de cabos utilizados e para quais situações cada um é mais indicado, está pronto para se diferenciar no mercado. Caso tenha restado alguma dúvida, não hesite em nos contatar ou deixe seu questionamento nos comentários abaixo.