Blog

Como a fibra ó​p​tica na operação de TV viabiliza estabilidade no serviço

Solução de fibra ó​p​tica na operação de TV é capaz de transportar grandes quantidades de informação a bilhões de bits por segundo

Os investimentos em TV a cabo e fibra óptica caminham juntos”, aposta Leila Loria, diretora-executiva de Relações Institucionais e Regulamentação da Telefônica em reportagem do jornal O Estado de S. Paulo. Conforme endossa a especialista e demonstra o mercado de telecomunicações, o avanço da fibra óptica na operação de TV garante cada vez mais qualidade de ​transmissão​ aos consumidores e assertividade na entrega do serviço aos ​clientes. No post de hoje, queremos explicar de que maneira isso acontece e, principalmente, diminui a desvantagem competitiva entre as operadoras.

A fibra óptica permite altas taxas de transmissão – medidas em Gbps (bilhões de bits por segundo). Em um sistema IPTV, a velocidade pode ser observada na troca de canais: sem fibra óptica na operação de TV, equipamentos das pontas e modo de transmissão adequados, há uma tela preta a cada vez que se muda a sintonia. Quando há a tecnologia para operação da TV, a troca de canais leva menos tempo e não mostra o fundo preto na mudança, pois há suporte de canais com maior taxa de bits (alta definição) sem a necessidade de comprimir os sinais de TV – o que geralmente é feito em operações de satélite para sistemas IPTV com mídias de baixa capacidade. O serviço de vídeo on demand também é adicionado à TV via fibra óptica.

A tecnologia é capaz de transportar grandes quantidades de informação. Ainda é válido destacar que as fibras recebem duas classificações: multimodo e monomodo. Essas categorias definem a forma como a luz se propaga no interior do núcleo. Veja:

Fibras multimodo: Possuem o diâmetro do núcleo maior, de modo que a luz assuma vários modos de propagação. Nesse modelo, a luz percorre o interior da fibra óptica por diversos caminhos. Esse tipo de fibra é utilizado normalmente em curtas distâncias e ​dentro dos data centers e ​oferece uma largura de banda inferior a fibra monomodo.

Fibras monomodo: São adequadas para aplicações que envolvam grandes distâncias, embora requeiram conectores de maior precisão e dispositivos de alto custo. Nas fibras monomodo, a luz possui apenas um modo de propagação e percorre interior do núcleo por apenas um caminho. É utilizada para atingir maiores distâncias e oferece uma largura de banda superior a fibra multimodo por ter menor dispersão do sinal. É utilizada para criação de redes externas de transmissão, distribuição e ​também ​de acesso​.​

Para que haja o tráfego de dados e a taxa de transmissão no meio físico de fibra ó​pt​ica são necessário equipamentos denominados conversores de mídias. A estabilidade proveniente da fibra óptica na operação de TV acontece graças à imunidade da solução às interferências eletromagnéticas e a menor atenuação do sinal com a distância.​

No Brasil, os provedores começaram a oferecer fibra óptica na operação de TV com a aprovação do Projeto de Lei da Câmera 116, de 2010, que abriu o mercado de TV a cabo às operadoras de telefonia fixa e pôs fim à restrição ao capital estrangeiro. Em 2013, a Vivo TV Fibra foi um dos primeiros modelos ​oferecidos aos consumidores brasileiros, de acordo ​com o que ​destacou a revista Exame. Na proposta, os conversores de mídia​ são conectados à rede de fibra óptica que passa pelos domicílios (mais de 500 mil em São Paulo, por exemplo). O ​conversor é conectado ao set-top-box por cabo Ethernet ou coaxial. O resultado é o recebimento de sinal em HD com alta velocidade, de aproximadamente 1 Gbps para canais de TV.

 

3 comentários sobre "Como a fibra ó​p​tica na operação de TV viabiliza estabilidade no serviço"

  • Damião Oliveira disse:

    ola, tenho um provedor que já trabalha com FTTH, qual seria o procedimento para começar a trabalhar com tv ?

    • Olá @disqus_mDiYCiwEwK:disqus! Você pode ter dois cenários com TV: IPTV ou RF. Para ambos os casos você deverá possuir um headend ou uma portadora que lhe disponibilize os canais. No caso do IPTV, a TV trafegará pela sua rede como um pacote de dados multicast, portanto, todos os seus equipamentos deverão suportar esta configuração. Se trabalhar com TV RF, para ter um projeto estável, você deverá ver as especificações de sensibilidade para o RF overlay da ONU a ser utilizada e recalcular toda a rede para este cenário. Com posse desses cálculos, você irá escolher o EDFA a ser inserido na sua rede. O EDFA é um amplificador de TV que normalmente possui um multiplexador na saída, portanto, já faz a combinação OLT/TV e disponibiliza para a rede. Na casa do cliente você deverá utilizar uma ONU com porta RF ou, para não ter que trocar a ONU, pode ser inserido um demultiplexador que divide o sinal de TV (que já sai como coaxial para a TV) e o sinal de dados (que sai como fibra para a ONU). Além disso, é bom lembrar que para operar com TV é necessária uma licença obrigatória, chamada SeAC, que você deve tirar diretamente com a Anatel.
      Esperamos ter esclarecido as suas dúvidas! Até mais!

  • Valdei Junior disse:

    Boa Noite.
    Tenho um provedor e gostaria de colocar tv pela fibra.
    Mas como contrato os canais para retransmiti-los e como faço a multiplexação destes canais para entrar na OLT ? e como os clientes irão selecionar os canais?
    Obrigado

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comparar Produtos ()