Blog

Redes à prova de futuro: equipamentos preparados para grandes volumes de dados

Por Thiago Oliveira, Engenheiro Comercial da Cianet

Já falamos aqui sobre as redes EPON e GPON, as redes ópticas passivas mais utilizadas no Brasil para internet banda larga. Se você trabalha com alguma dessas redes, é provável que, em algum momento, você precise aumentar a sua capacidade de banda. Isso porque cada vez mais serviços têm demandado um crescimento exponencial de banda larga, como IPTV, Web TV, a resolução 4k, jogos, entre outros. É preciso, então, construir hoje redes à prova de futuro, para que amanhã elas estejam preparadas para suportar mais serviços.

Um futuro muito próximo irá demandar para o Brasil, assim como já acontece em outros países, a tecnologia 10G, XG-PON1, em substituição à atual 2,5 GPON. Em outras palavras, os sistemas GPON suportarão 10 Gbit/s no sentido dowstream. Ou seja, em um cenário, tanto residencial quanto corporativo, o XG-PON1 suportará milhares de streams simultâneos de vídeo, ao mesmo tempo em que suportará diversos serviços unidirecionais (unicast) personalizados.

Nas chamadas redes à prova de futuro, é necessário já contar com a possibilidade de ampliação para a XGPON e procurar fabricantes de equipamentos, tanto de OLTs, que possam atuar com redes GPON, mas que já estejam preparados para as redes XG-PON1 ou até para NG-PON2 (40 Gbps), quanto de ONTs que tenham filtro capaz de viabilizar a operação sem sofrer interferência do sistema 10G e vice-versa.

Quando se fala em segurança de fornecedor é importante pesquisar se o fabricante é líder de mercado mundial e principalmente no seu país de origem, se possui patentes registradas na tecnologia e desenvolvimento de novidades constante (Roadmap). Isso vai garantir que seu investimento seja protegido e reconhecido em qualquer avaliação da sua empresa.

Outros pontos a se pensar: Sua OLT é capaz de fazer mobile backhauling? Qual o consumo elétrico, espaço e de calor do seu equipamento? Possui certificações internacionais como, por exemplo, o MEF 9 ou MEF 14 para integrar a rede Metro Ethernet?

 Visto que essa mudança não deve demorar, é melhor começar a pensar a aderir às redes à prova de futuro. O que você acha?

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comparar Produtos ()