Blog

O que é LTE e por que os provedores precisam saber sobre isso

A todo momento, novas tecnologias para banda larga surgem, melhores, mais simples e mais acessíveis. E é preciso que todo provedor de internet esteja a par desses novos conceitos para poder optar em adotá-lo se incrementar seus serviços. Uma dessas tecnologias é a LTE.

 

A tecnologia de banda larga LTE (Long-Term Evolution) é basicamente uma evolução da tecnologia a rádio. Estamos falando da comercialmente conhecida tecnologia 4G, que, ao ser projetada para dispositivos fixos é chamada de TD-LTE (Time-Division Long-Term Evolution) e, para dispositivos móveis, é chamada de FD-LTE (Frequency-Division-Duplex Long-Term Evolution).

 

Vamos abordar a questão do TD-LTE, que pode ser uma conexão doméstica, utilizada para desktops, laptops e smartphones dentro de um determinado ambiente. Neste caso, a tecnologia atua em frequências pré-definidas. Algumas faixas já foram adquiridas por grandes operadoras brasileiras e já são comercializadas, como a Sky. No final de 2015 houve um leilão para venda das faixas de frequêcias TD-LTE em municípios que ainda não pertenciam a nenhuma operadora. Portanto, em breve será possível encontrar cada vez mais provedores oferecendo esse serviço nos municípios.

 

O que é o LTE?

 

O LTE é um sistema OFDMA (Orthogonal Frequency Division Multiple Access) para espectro de banda larga. Em resumo, é uma técnica de modulação de dados apropriada à tecnologia de rádios cognitivos, mas que alcança maiores velocidades que as tecnologias rádio já conhecidas. De acordo com a GTI (Global TD-LTE Initiative), iniciativa global da tecnologia, até a metade de 2015 existiam 63 redes comerciais de TD-LTE em todo o mundo, um número com bastante possibilidade de crescimento.

 

A princípio a tecnologia foi concebida para mobilidade e alta capacidade de banda, seguindo a  bem-sucedida 3G. A tecnologia é superior às outras tecnologias sem fio por vários motivos:

 

  • Produz alta eficiência espectral
  • Possui uma mobilidade robusta
  • Incorpora técnicas avançadas de antena
  • Possui novo núcleo de rede de pacote que suporta aplicações em IP
  • Suas taxas são de picos de até 73Mbit/s para download e 36Mbit/s para upload
  • Tem baixa latência, baixo overhead e suporte à QoS

 

O modo de apresentação do TD-LTE vem por meio de modems USB, PC Cards e módulos embarcados. A tecnologia OFDMA do LTE aproveita melhor a banda para fornecer velocidades de dados extremamente altas e proporcionar uma excelente experiência ao usuário. Com suporte para largura de banda de até 20 MHz e os diferentes modos de duplexação por divisão de frequência (FDD) e a duplexação por divisão de tempo (TDD), as operadoras podem oferecer tanto serviços de banda fixa como móvel.

 

O TD-LTE é ideal para o espectro TDD não pareado, podendo ser utilizado para aumentar a capacidade de hotspots (locais onde as redes sem fio estão disponíveis para serem utilizadas). A tecnologia é mais barata que a FDD, mas tem uma cobertura mais reduzida, sendo, portanto, ideal para internet fixa ou com pequena mobilidade.

 

Próxima geração LTE

 

A China Mobile é a maior operadora de TD-LTE do mundo e está acelerando o desenvolvimento da tecnologia na China e também na Coreia do Sul. Segundo a empresa, a união dos países também fomenta a pesquisa de novas tecnologias TDD e isso pode trazer um benefício ainda maior: a facilitação da transição para a próxima geração da tecnologia, no caso, o 5G.

 

Você tem dúvidas sobre o assunto? Já tinha ouvido falar sobre o assunto? Tem interesse em adotar a tecnologia? Comente abaixo ou entre em contato conosco para debatermos sobre o assunto.

Compartilhar:

4 comentários sobre "O que é LTE e por que os provedores precisam saber sobre isso"

  • Tenho interesse em utilizar esta tecnologia mas minha dúvida principal é se esta solução serve para pequenos provedores e se é necessário ser dono de uma frequência da última licitação da Anatel, não há quase nenhuma informação sobre esta tecnologia em português o que dificulta a pesquisa.

    • Olá @disqus_d5U9lZO5W1:disqus, tudo bem? Tudo depende de quantos clientes você pretende atender e quais serviços você pensa em ofertar. Sobre a frequência, sim, é necessário ter participado e arrematado a licença com a Anatel nas cidades que você deseja operar.​ Até mais!

  • Cláudio Paulo disse:

    Olá pessoal! Gostei da abordagem. Estou estudando a tecnologia para minha dissertação e Angola, pela Angola-Telecom está a fazer site-survey para implementar. Pretende se ter voz em LTE pela APn SIP. Temos notado que em CPEs os UPLoad tem sido maior que DownLoad. Porque.

  • Vando Patrocinio disse:

    Olá, vocês oferecem alguma consultoria para aplicação de 5000 usuários?

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comparar Produtos ()