Blog

Wi-fi 6: o que é e qual o impacto para os provedores?

Você já ouviu falar do Wi-fi 6? Sabe as diferenças e como ele irá impactar os clientes finais? Confira o post a seguir e conheça melhor essa nova tecnologia!

Até recentemente, pouco mais da metade dos brasileiros acessava a Internet — só 54% das pessoas eram capacitadas a navegar na rede em 2016. Porém, este cenário mudou: em 2020 já eram 424 milhões de smartphones em uso no Brasil — quase dois aparelhos por pessoa – e segundo dados atuais, 80% dos domicílios utilizam Wi-Fi.  Hoje, na maioria dos lares, há dois ou mais dispositivos móveis conectados à rede Wi-Fi, sem contar outros dispositivos, como videogames e notebooks.

Entretanto, prevalece a mesma tecnologia de conexão utilizada em 2016: o padrão 802.11ac, ou Wi-Fi 5, que funcionou bem por vários anos. Até que o aumento da demanda por conexões mais robustas, que suportam diversos aparelhos conectados ao mesmo tempo sem perda de velocidade, fez com que surgisse um novo padrão: o 802.11ax, ou Wi-Fi 6.

Sem dúvida, este salto tecnológico trará impactos muito positivos para todos os usuários da Internet e, consequentemente, para os provedores de acesso. Mas o que de fato é o Wi-Fi 6, e como os provedores e clientes serão afetados por ele? Siga lendo e descubra!

O que é Wi-Fi 6 e quais as suas diferenças?

Ao falar sobre Wi-fi, é comum lembrar de várias letras e números. De fato, os nomes para os padrões de rede eram bastante complicados: sequências numéricas que acabavam deixando os consumidores confusos. Por isso, a Wi-Fi Alliance (organização mundial responsável por tomar decisões sobre as redes wi-fi) decidiu simplificar as coisas. Assim, a geração conhecida como 802.11ac agora é Wi-Fi 5, e a 802.11ax fica sendo o Wi-Fi 6. O propósito do novo padrão é o mesmo que o do anterior: conectar dispositivos à Internet. A diferença é que com esta inovação a rede sem fio se torna muito mais rápida e eficiente. 

Ao contrário do Wi-Fi 5, que operava somente na frequência de 5GHz, o Wi-Fi 6 se conecta às frequências de 2.4GHz (Wi-Fi N) e 5GHz (Wi-Fi AC), sendo capaz de reunir “o melhor de dois mundos”: o maior alcance de sinal da frequência de 2.4 GHz unido à velocidade e confiabilidade da frequência de 5GHz.

Assim, o Wi-Fi 6 pode extrair maior largura de banda e tem maior capacidade para lidar com redes congestionadas. Na prática, o usuário final conta com um desempenho muito superior, principalmente quando tiver múltiplos dispositivos conectados. Mas o quão rápido será o Wi-Fi 6?

Velocidade do Wi-fi 6

Em teoria, o Wi-Fi 6 é capaz de atingir uma largura de banda de 1,2 gigabits por fluxo, sendo capaz de entregar até 8 fluxos por dispositivo. Para simplificar, basta dizer que o Wi-Fi 6 poderá fornecer, no mínimo, quatro vezes a largura de banda oferecida pelo Wi-Fi 5 — e possivelmente muito mais.

O novo padrão é projetado para operar dentro da realidade atual, com redes congestionadas, muita interferência e múltiplos aparelhos conectados. Para se ter uma ideia da revolução representada pelo Wi-Fi 6 em termos de velocidade, confira o quadro abaixo:

A evolução do Wi-Fi

802.11  taxa máxima de 2 MB/s
802.11 a  taxa de até 54 MB/s — foi pouco comercializada, uma vez que tinha custo elevado em relação ao padrão anterior
802.11 b  transmissão de 11 MB/s. — deixou de ser usada, pois operava na mesma frequência que outros aparelhos domésticos, o que gerava interferências
802.11 g  rede que unia as melhores características dos padrões anteriores, com frequências próximas a 2.4 GHz
802.11 n (Wi-Fi 4)  taxa de 2.4 GHz— atinge velocidade de até 600 MB/s
802.11 ac (Wi-Fi 5)  tecnologia utilizada atualmente — atinge velocidade de até 1.300 MB/s, e suporta até 4 dispositivos conectados, sem perda de qualidade.
802.11 ax (Wi-Fi 6)  nova geração de redes sem fio — é capaz de atingir velocidades de até 9,6 Gbps, e suportar ao menos 8 dispositivos conectados ao mesmo tempo.

Vantagens e Impactos

O Wi-Fi 6 foi projetado para trazer melhor desempenho para os usuários e  maior capacidade de rede para os provedores, que serão capazes de melhorar a cobertura e explorar novas oportunidades para o uso de aplicativos avançados. A nova tecnologia irá permitir, por exemplo, que:

  • Roteadores comuniquem-se  com mais aparelhos simultaneamente;
  • Enviem dados a estes dispositivos na mesma transmissão;
  • Dispositivos Wi-Fi programem check-ins com o roteador.

Estes recursos irão manter a conexão forte e estável, diminuindo os gargalos, mesmo com mais dispositivos conectados: a nova rede deverá conseguir lidar com ao menos oito aparelhos. E ainda que a velocidade de cada um deles não fique necessariamente maior, o desempenho subirá consideravelmente, uma vez que não será mais preciso dividir a largura de banda. Com a adoção do Wi-Fi 6, chegam benefícios como:

  • Aumento da  velocidade;
  • Economia de energia;
  • Melhora do desempenho em áreas com alta demanda;
  • Mais segurança nos pontos de acesso públicos;
  • Melhora no suporte para dispositivos inteligentes.

As vantagens para o público são claras, assim como as oportunidades para os provedores, que terão no fornecimento do Wi-Fi 6 um grande diferencial competitivo, já que o novo padrão atenderá demandas crescentes entre os usuários: a possibilidade de utilizar vários dispositivos em uma mesma rede, sem perda de desempenho e uma maior velocidade de conexão, ideal para os dias atuais, nos quais a IoT (Internet das coisas), Realidade virtual, jogos online de alto desempenho e serviços de streaming de alta resolução fazem parte do cotidiano.

Em resumo

O Wi-Fi 6 deve demorar algum tempo para se tornar o padrão dominante, ao menos no Brasil (por ser um padrão recente, a maioria dos dispositivos ainda não suporta a tecnologia, e é preciso melhorar a infraestrutura nacional de transmissão). Mas é fundamental que os provedores prestem atenção a esta inovação, para garantir um bom planejamento de futuras ações estratégicas, como o desenvolvimento de novos produtos e serviços.

E você, o que espera do novo padrão de redes sem fio? Fique à vontade para deixar sua opinião nos comentários, e não deixe de nos acompanhar para saber sobre outras novidades e tendências para provedores!

 

tendências-para-provedores

Compartilhar:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comparar Produtos ()