Blog

Saiba qual é o modelo de cabo Drop indicado para o seu negócio e como instalar

O cabo drop é um recurso fundamental para provedores que trabalham com fibra óptica, pois é o responsável por levar o serviço de internet até o usuário em uma rede FTTx. No entanto, existem algumas opções no mercado, que geram dúvidas na hora da compra dos equipamentos e materiais.

Neste artigo, vamos explicar quais são os tipos de cabo drop mais indicados para os provedores que atuam na comercialização de fibra óptica, além de mostrar um passo a passo de como instalar. Confira!

Conheça os modelos de cabo Drop

Existem dois tipos principais de cabo Drop indicados para o uso em redes de fibra óptica. Antes de comprar um modelo para o provedor de internet, é fundamental conhecer suas características, especificações e quais as indicações de uso desse recurso. Essas informações vão garantir que a sua infraestrutura funcione com segurança e qualidade. 

Cabo Óptico de Uso Geral (COG) 

Esse tipo de cabo é usado, em geral, em aplicações verticais, como tubulações, onde passam vários cabos e não há fluxo de ar. Nesse tipo de local, COG fica mais protegido, os riscos de danificação ou até roubo de cabos são menores. 

O COG pode ser usado de diferentes formas, como instalações residenciais, prédios comerciais e outros tipos de empreendimentos. 

Low Smoke Zero Halogen (LSZH)

O cabo LSZH também é usado em instalações verticais, porém apresenta a vantagem de gerar pouca ou nenhuma fumaça em situações de incêndio. Isso faz com que toda instalação tenha mais segurança, pois os riscos de intoxicação são bem menores. 

A vantagem de usar qualquer um dos dois são suas versões dielétrica ou metálica. Os cabos dielétricos são desenvolvidos com elementos que não conduzem energia elétrica. Esse tipo de material é recomendado para o uso em dutos, onde há outros cabos. Os metálicos possuem metal em sua composição.

Além disso, os cabos podem ser encontrados com códigos diferentes, mas com significados importantes. Essas especificações vão te ajudar na hora de escolher. O cabo deve atender as necessidades da sua rede e do serviço oferecido.

Importante: tanto o COG quanto o LSZH possuem diferentes variações, conforme o tipo de atrito dos cabos, como:

  • Cabo Drop COG metálico com atrito reduzido
  • Cabo Drop COG metálico com com atrito normal
  • Cabo Drop LSZH metálico com atrito reduzido
  • Cabo Drop LSZH metálico com com atrito normal
  • Cabo Drop COG dielétrico com atrito reduzido
  • Cabo Drop COG dielétrico com com atrito normal
  • Cabo Drop LSZH dielétrico com atrito reduzido
  • Cabo Drop LSZH dielétrico com com atrito normal

Qual é o cabo mais indicado para o seu negócio?

Na hora de escolher, leve em consideração se o cabo tem fibra monomodo com baixa sensibilidade a curvaturas e proteção LSZH. O cabo Drop deve ser auto sustentado e de baixo atrito, conter unidade óptica com dois elementos de tração (dielétricos) e permitir o uso em ambientes externos e interno. Além disso, deve ser compatível com o uso em tubulação elétrica, seguir as instruções RoHS e ser homologado pela Anatel.

Para instalações residenciais, por exemplo, em que é possível aproveitar a tubulação de energia elétrica do local para passar o cabeamento, é essencial contar um cabo drop dielétrico. Já se houver dificuldade para passagem com dutos entupidos, é importante buscar um cabo de baixo atrito. Mas se os dutos tiverem curvas muito acentuadas, o modelo mais indicado são os cabos com baixa sensibilidade a curvaturas, como o G657.A2.

Caso o provedor deseje ainda, oferecer maior segurança para os clientes, tanto em casa quanto em estabelecimentos comerciais, é recomendável usar um cabo LSZH.

Depois de escolher o cabo Drop que melhor atende o seu provedor, as necessidades e características do projeto do seu cliente, você poderá fazer as instalações de modo adequado. A seguir, apresentamos um passo a passo para ajudar. 

Passo a passo para instalar o cabo Drop

Para a instalação, você vai precisar das seguintes ferramentas:

  • 1 Alicate decapador de cabo drop;
  • 1 Clivador de fibra óptica;
  • 1 Decapador de fibra óptica;
  • 1 Gabarito para retirada do revestimento primário da fibra;
  • 1 Chave de fenda (opcional);
  • 1 Tesoura;
  • 1 álcool isopropílico;
  • 1 Gabarito para clivagem;
  • 1 Power Meter com função VFL (opcional);
  • Conectores (UPC e APC);
  • 1 Bobina de Cabo Drop (recomenda-se lances de até 400 metros entre cliente e CTO).

O passo a passo a seguir pode ser usado para instalação de conector de campo ou de clique. No primeiro caso, você usará o conector azul (UPC) e no segundo caso o conector verde (APC). Provedores que não usam conectores precisam utilizar uma máquina de fusão para fazer a instalação.

Siga o passo a passo para fazer a instalação:

  • Use a tesoura para fazer um pequeno corte e tirar o elemento de sustentação da fibra;
     
  • Use o alicate decapador de cabo drop para retirar o revestimento de proteção da fibra óptica;
     
  • A medida interna do alicate pode ser usada para tirar o elemento. Basta fechar o alicate e puxar. O alicate vai cortar o elemento, protegendo a fibra;
     
  • Com o auxílio do gabarito, tire o revestimento primário da fibra. Empurre a fibra até a marcação na parte interna do gabarito;
     
  • Segure firme o cabo com o seu polegar, com a outra mão aperte o meio do gabarito e puxe;
     
  • O revestimento primário deve ficar no interior do gabarito e a fibra ficará com uma marcação;

  • Após a retirada do revestimento primário, use o álcool isopropílico para limpar o que sobrou do revestimento da fibra. A limpeza da fibra é importante para evitar qualquer interferência na qualidade do sinal;
     
  • Essa ação vai gerar um ruído. Significa que a fibra está totalmente limpa;
     
  • Agora, use o gabarito de clivagem para fazer o encaixe da fibra. Em seguida, encaixe o gabarito no clivador para fazer a clivagem;
     
  • O próximo passo é fazer a montagem do conector de campo;
     
  • Para isso, pegue o conector de clipe, a fibra clivada e limpa e insira no conector;


     

  • Insira até que o cabo chegue na trava do conector e a fibra faça uma curvatura. Depois feche a trava;
     
  • Retire a trava do conector da outra ponta e aperte-o também;
     
  • Insira a proteção final;
     
  • Todo conector tem uma marca que deve ser colocada no sentido oposto ao da trava.

Depois, é só testar o conector. Para isso, coloque o Power Meter na versão VFL, encaixe o conector no aparelho e faça a aferição do sinal na extremidade oposta da fibra.  Ficou com alguma dúvida sobre a instalação? Assista o vídeo a seguir ou entre em contato com a nossa equipe técnica. 

Compartilhar:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comparar Produtos ()