Blog

Como o provisionamento remoto de ONU facilita o suporte

O termo provisionamento remoto é usado no meio das telecomunicações para se referir à implantação ou adaptação de um serviço para um usuário. Provisionar é um sinônimo para configurar ou instalar. Ou seja, os provedores provisionam/configuram/instalam o serviço de internet para seus clientes remotamente, de onde estiverem, sem precisar ir até eles.

O provisionamento remoto de ONU é a maneira mais simples que o provedor tem de oferecer suporte ao cliente. Fazendo a configuração correta, basta o endereço IP para que seja possível acessar o equipamento do cliente remotamente.

Existem sistemas que permitem testes remotos e implantação simplificada até mesmo com provisionamento remoto sem interação (zero touch provisioning), o que é vantajoso para os provedores, já que dispensam equipes especializadas em campo, reduzindo custos, minimizando erros e acelerando a ativação.

Qual é a diferença entre o provisionamento remoto para EPON e para GPON?

É comum surgirem dúvidas quanto ao provisionamento remoto no momento em que o provedor está ampliando a área de atuação de sua rede. Isso porque, geralmente, o provedor está acostumado à tecnologia EPON, que é própria para um número menor de clientes, mas precisa começar a atuar com a tecnologia GPON para que tenha condições de atender um número maior de usuários.

Ocorre certa dificuldade nesse processo pois normalmente a tecnologia EPON tem uma configuração mais amigável. Para expansão da rede recomenda-se utilizar um equipamento de tecnologia GPON, que atende no mínimo 1024 clientes — uma quantidade considerável, uma vez que a EPON atende um número mínimo de 128 clientes. É importante destacar porém, que a tecnologia GPON exige um pouco mais de conhecimento para realizar as configurações e muitas vezes ela não possui uma interface gráfica tão amigável quanto na EPON. 

Caso o provedor pretenda migrar de tecnologia, e utilizar a GPON, por exemplo, é necessário verificar o projeto de rede, as configurações e tipos de equipamentos. Se no caso, o projeto de rede original foi elaborado para tecnologia EPON, o número de clientes por porta é de 64, enquanto que na GPON são 128. O provedor também deve verificar se o modelo das ONU’s são compatíveis com a nova tecnologia ou se é necessário adquirir novos equipamentos, junto com conectores e outras ferramentas para uso.

Além disso, para efetuar a mudança de EPON para GPON, é preciso acessar o equipamento, configurar a OLT, configurar a ONU (o equipamento que fica na casa do cliente), criar parâmetros, seguindo uma série de passos, que envolvem linhas de comando que não são tão simples quanto na EPON.

Vale destacar que, o provedor pode trabalhar com as duas tecnologias, tanto EPON quanto GPON, usando também uma ONU híbrida.

Como configurar o provisionamento remoto

Aprender a configurar essa tecnologia para o provisionamento remoto pode representar um desafio para o seu negócio. No entanto, você pode contar com o apoio da Cianet, que é especializada em produtos e serviços para provedores regionais, com ampla experiência em treinamentos para equipes sobre novas tecnologias e suporte técnico.

A Cianet tem em seu portfólio ONUs para provisionamento remoto. Além de oferecer diversos modelos de equipamentos, a empresa oferece todo o apoio para garantir que o seu provedor funcione perfeitamente, esclarecendo quaisquer dúvidas sobre configurações que você possa ter para iniciar o provisionamento remoto.

Por que é importante realizar o provisionamento remoto?

O provisionamento remoto, sem dúvidas, representa uma possibilidade de crescimento para os provedores. Existem várias novas ferramentas e padrões que contribuem para auxiliar as empresas a continuarem crescendo, enquanto se posicionam estrategicamente para o futuro. Uma delas é esse tipo de provisionamento, que facilita o serviço de implantação e adaptação de internet, além de otimizar o relacionamento com o cliente.

É possível alterar configurações de Wi-Fi, PPPoE, entre outras, desde que haja compatibilidade entre as marcas de OLT e ONU (caso sejam diferentes) para a realização desse processo. E, se forem da mesma marca, basta verificar se a ONU tem esse suporte.

O provisionamento remoto pode ser realizado com segurança por meio de protocolos de criptografia. Recursos para resolução de problemas permitem que os provedores de rede ofereçam suporte de alta qualidade aos seus assinantes.

Além disso, uma das grandes vantagens do provisionamento remoto é que, ao eliminar a necessidade de uma equipe estar em campo para reconfigurar equipamentos nas instalações do cliente e resolver a solicitação dele, os custos são significativamente reduzidos com pessoal e com logística. Outra vantagem, do provisionamento remoto é que o tempo de resolução dos chamados dos clientes também é minimizado, aumentando a satisfação do cliente, que não precisa esperar até a equipe técnica se deslocar para resolver uma questão básica do aparelho. 

O processo também é mais cômodo para o cliente, que tem sua solicitação resolvida em menos tempo, sem precisar esperar a equipe do provedor se deslocar para atendê-lo.

Você está ampliando a rede do seu provedor? Sugerimos que leia este e-book, que traz informações valiosas para você dar os primeiros passos para o crescimento do seu provedor, começando pelo planejamento. Baixe e prepare-se para essa expansão.

Provedores em expansão

Compartilhar:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comparar Produtos ()