Blog

Por que utilizar a arquitetura de redes FTTx

Impulsionado pela transformação digital, as redes FTTx — Fiber to the X ou, em português, Fibra para o X, passou a ser a tecnologia adotada pelos provedores de internet que buscam aperfeiçoar sua infraestrutura de rede para atender assinantes cada vez mais conectados e exigentes. Isso porque, a tecnologia FTTx possibilita satisfazer as necessidades atuais de transmissão de dados e velocidades mais altas, fatores que impactam diretamente na melhoria da experiência do usuário.

Por esse motivo, os provedores regionais passaram a investir em fibras FTTx para oferecerem aos assinantes serviços de internet de qualidade superiores às grandes operadoras fora dos centros urbanos, e dessa forma, expandirem sua atuação em um mercado altamente promissor.

Apesar da forte atuação das grandes empresas de telecomunicações, a prestação dos serviços está concentrada nos municípios das regiões metropolitanas. Ainda são poucos assinantes com acesso a essa tecnologia — principalmente nas regiões mais remotas, o que não deixa de ser algo positivo para o mercado de ISPs: há muito espaço para crescimento, dada a ampla extensão territorial do País.

Segundo estimativa da Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (ABRINT), apenas 5% das cidades do Brasil concentram 77% dos acessos de banda larga. Dos 95% restantes, a maior parte deles (80%) são mercados ideais para os pequenos provedores de internet (ISPs).

Para explorar esse espaço no mercado, é de fundamental importância investir em conexão de qualidade. Apesar de a maioria das ligações à rede hoje serem via xDSL, a fibra óptica é a tecnologia mais moderna, eficiente e confiável disponível para os ISPs. As redes FTTx têm se popularizado ao redor do mundo e o investimento nelas vem se tornando cada vez menor, ou seja, apresenta um bom custo-benefício, manuseio e instalação simples e custo de operação menor.

Redes FTTx: tendência para ISPs ampliarem sua atuação no mercado

As redes FTTx podem ser formadas por uma arquitetura ponto-multiponto, ligando o usuário final à rede ou ainda ponto a ponto. Ela permite oferecer aos assinantes conexões com velocidades acima de 100 Mbps sem interferências e com baixa latência. Com o advento da Internet das Coisas, além de todas as tendências tecnológicas que estão sendo desenvolvidas, a conexão de qualidade se tornou o principal diferencial na prestação de serviço de banda larga fixa. Essas inovações demandam uma infraestrutura cada vez melhor para suportar a grande quantidade de dados.

Os elementos principais das redes FTTx são uma rede de fibra óptica monomodo, uma série de equipamentos tanto nas centrais como nos assinantes, além de elementos de divisão no meio da rede, que no caso de topologia ponto-multiponto, são chamados de splitters. Esses splitters são todos passivos, ou seja, não necessitam de eletricidade e são inseridos em pontos estratégicos das redes, otimizando o projeto e expandindo-o.

Em uma rede ponto-multiponto os equipamentos das centrais das redes FTTx são ativos concentradores denominados OLT. Na tecnologia EPON, a OLT permite que o sinal seja compartilhado por até 64 usuários a uma distância de até 20 quilômetros da OLT. Os ativos encontrados nos usuários são denominados ONU ou ONT, que recebem sinais ópticos e disponibilizam portas metálicas para a conexão de equipamentos como computadores ou telefones.

Já em uma rede ponto-a-ponto os equipamentos tanto das centrais quanto dos clientes são conhecidos como conversores de mídia e são sempre utilizados em pares Lado A e Lado B, salvo quando não possuem a tecnologia WDM e utilizam mais do que uma fibra óptica para fazer a transmissão.

Variações das redes FTTx

  • FTTA: Fiber-To-The-Apartment (Fibra até o apartamento)
  • FTTB: Fiber-To-The-Building (Fibra até o prédio)
  • FTTC: Fiber-To-The-Curb/Cabinet (Fibra até o armário no poste ou calçada)
  • FTTD: Fiber-To-The-Desk (Fibra até a mesa do usuário)
  • FTTH: Fiber-To-The-Home (Fibra até a casa)
  • FTTN: Fiber-To-The-Node (Fibra até o nó)

Arquiteturas de redes FTTx

As arquiteturas de redes FTTx são separadas em redes ponto ponto (P2P) e redes ponto multiponto (P2MP). A arquitetura de rede ponto a ponto é a mais simples, sendo o início das estruturas de redes ópticas. Essa arquitetura necessita de uma fibra localizada entre a central e o cliente, com a utilização de conversores de mídia. Entretanto, essa arquitetura apresenta uma baixa penetração no mercado devido ao seu alto custo de infraestrutura quando comparada ao modelo de fibra compartilhada (ponto multiponto).

A arquitetura ponto multiponto foi criada para utilizar uma fibra compartilhada entre vários assinantes e o CO (Central Office). Essa arquitetura tem como vantagem diminuir a quantidade de fibras utilizadas em relação aos clientes finais. Nesse modelo de rede não existem elementos ativos entre o equipamento concentrador (OLT) e os modens (ONT/ONU). Com isso, há economia de energia, de espaço para acondicionamento e de manutenção de equipamentos eletrônicos. A economia de energia faz bastante sentido dentro do ISP, pois em vez de utilizar somente um OLT, irá fazer uso de “n” conversores de mídia. Outro ponto que merece destaque é a capilaridade com uma baixa densidade de cabos de fibras, gerando uma economia no que diz respeito à quantidade de fibra;

Vantagens de utilizar redes FTTX ponto multiponto

  • Economia de cabos ópticos;
  • Utilização de redes ópticas passivas;
  • Rede externa óptica totalmente passiva: facilidade de manutenção, durabilidade e segurança na implementação e manutenção da rede (por não estar energizada);
  • Redução de custos operacionais de energia elétrica dos equipamentos e confiabilidade;
  • Facilidade de atualização: instalação de clientes e mudanças de planos;
  • Gerência simplificada: todos os serviços em uma única plataforma;
  • Por se tratar de fibra óptica, o meio não sofre interferência elétrica.

As redes FTTx já se tornaram realidade no mercado de telecomunicações. Para enfrentar o desafio da evolução da fibra óptica, países desenvolvidos estão substituindo toda a sua rede por redes FTTx, muito mais robusta, eficiente e segura. As redes FTTx também podem ser consideradas à prova de futuro, pois a estrutura externa de fibra é uma rede que não precisa ser modificada quando existe avanço da tecnologia, sendo impactada somente nas pontas.

Isso faz com que as conexões FTTx sejam consideradas hoje mais vantajosas que as outras tecnologias disponíveis no mercado.

Você tem dúvidas de como implementar as redes FTTx? Faça um dos treinamentos de redes FTTx oferecidos pela Cianet.

fttx

Publicado originalmente em 29 de março de 2016.
 

4 comentários sobre "Por que utilizar a arquitetura de redes FTTx"

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comparar Produtos ()