Blog

Equipamentos para ISPs: a importância da qualidade

Alguns ISPs, ao iniciar seu negócio, ficam preocupados com os custos e optam por realizar um projeto simplificado sem prestar atenção na qualidade dos equipamentos. Isso é extremamente arriscado, já que tanto o projeto quanto os equipamentos para ISPs são a base do funcionamento dessa empresa. É importante ressaltar que as tecnologias estão em constante evolução, ou seja, seu provedor deve estar preparado para se adequar à elas e às novas demandas decorrentes desse avanço.

Claro que o capital é sempre um grande desafio, mas a economia em equipamentos para ISPs pode representar muito mais custos mais à frente. A base do serviço, que engloba especialmente o projeto, a infraestrutura e os equipamentos, precisa ser sólida e de muita qualidade para suportar o negócio.

Antes de empreender, é interessante realizar um planejamento estratégico, pois nele estará previsto o quanto você deseja gastar e quais serão as suas prioridades, dentre elas, a escolha dos equipamentos que comporão a sua rede. Para isso, opte por fornecedores nacionais, que ofereçam suporte técnico adequado e um atendimento mais próximo. Investir na profissionalização da sua rede dando preferência para produtos homologados pela Anatel também podem livrar você de problemas no futuro.

Equipamentos para ISPs de qualidade evitam problemas futuros

Fibra óptica

Um ponto bastante comum aos pequenos provedores é a resistência a iniciar os trabalhos com fibra óptica. Isso porque, a princípio, esses empreendedores pensam que o investimento seria muito alto. Eles não levam em consideração, no entanto, que adotar uma tecnologia mais “barata” limita muito a oferta de serviços, tanto em  qualidade como em  quantidade. A fibra óptica pode ter um custo elevado no começo, mas é uma infraestrutura que suporta tecnologias extremamente modernas, como a GPON, com alta escalabilidade e possibilidade de oferta ilimitada de serviços de internet.

OLT

A OLT (Optical Line Terminal) é o elemento concentrador dos fluxos de dados e serviços. Seu papel é, basicamente, enviar as informações para as ONTs e receber as informações provenientes delas também. A OLT pode ser considerada um gateway e ser utilizada somente para transporte dos dados, como é o caso comum de aplicação do GEPON, e também pode fornecer algumas características de camada 3 para controle de banda das ONUs e direcionamento de pacotes, como é o caso do GPON. Sendo assim, a OLT é um dos equipamentos para ISPs mais importantes em redes FTTx (se não o mais importante) e, por isso, a escolha de uma OLT de qualidade afeta diretamente no desempenho do seu provedor.

ONT

A ONT (Optical Network Terminal) é o terminal onde os sinais ópticos transformam-se em sinais elétricos para uso nas instalações do cliente. Para o correto funcionamento da rede, a escolha do modelo de ONT é um passo fundamental. Existem modelos simples, com apenas uma porta Ethernet, e também modelos bem mais completos, com WiFi, Ethernet e voz, por exemplo. A quantidade de interfaces também pode variar e deverá ser escolhida de acordo com a necessidade do provedor – definida em um bom projeto de rede. A realidade de cada ISP e, principalmente, o que a empresa oferece aos clientes irá influenciar a escolha da ONT. A qualidade desse equipamento pode fazer a diferença na rede, pois se houver alguma falha no envio dos sinais, o serviço de internet não terá qualidade na casa do cliente, gerando problemas e insatisfação.

Splitter

O splitter é um dos equipamentos para ISPs mais importantes, junto com a OLT e as ONTs. É um componente passivo de uma rede óptica que tem como finalidade dividir o sinal óptico, aumentando assim a ramificação da rede e deixando-a com mais capilaridade. Dessa forma, os splitters são capazes de distribuir (ou derivar) as fibras para que a OLT atenda a várias ONTs, tornando-se um elemento essencial para aplicações ponto-multiponto. Um splitter de má qualidade pode prejudicar o  sinal, inviabilizando a operação planejada no projeto e dificultando a expansão da rede.

Cabo drop

Toda rede FTTx necessita de cabos ópticos troncais para funcionar. São os chamados backbones, considerados  a “espinha dorsal” da rede e por onde passam os dados de todos os usuários. No entanto, para entregar o serviço ao usuário final são necessários os cabos de acesso ao assinante, sendo mais comum utilizar os chamados cabos drop. Esses equipamentos para ISPs são muito importantes e deve-se também prezar pela sua qualidade. Um bom cabo drop não pode permitir que a fibra fique solta dentro dele, ou seja, ela não pode deslizar ao ser puxada ou empurrada, porque assim ela pode quebrar e causar problemas na rede. É vantajoso também escolher um cabo dielétrico, ou seja, que não sofra interferência eletromagnética, para que sua implantação seja mais fácil e para que possa compartilhar dutos com cabos elétricos.

Ferramentas de manutenção

A manutenção de redes ópticas também requer equipamentos de alta qualidade. Máquina de fusão, localizador visual de falhas, clivador, decapadores, OTDRs, todos esses equipamentos para ISPs precisam preencher requisitos altos de qualidade. Eles serão cruciais na implantação e na manutenção da rede.

Na hora de projetar e implantar sua rede, preze muito pela qualidade e tenha uma infraestrutura sólida, com equipamentos dos melhores fornecedores. Não economize nesta etapa e faça o seu negócio crescer continuamente e com qualidade.

3 comentários sobre "Equipamentos para ISPs: a importância da qualidade"

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comparar Produtos ()