Blog

Diferença entre IPv4 e IPv6

IPv4 e IPv6 são termos que fazem parte do dia a dia de qualquer provedor. Mas é comum existirem dúvidas em relação à diferença entre IPv4 e IPv6. Você arriscaria dizer qual é, sem consultar? É por isso que decidimos elaborar este conteúdo. Assim, fica mais fácil você recorrer sempre que precisar.

Mas, antes de entender a diferença entre IPv4 e IPv6, é preciso entender o conceito de IP.

O que é IP?

IP é a sigla de Internet Protocol ou, em português, Protocolo de Internet. Trata-se do endereço na rede, ou seja, o dado necessário para que as ligações da internet sejam estabelecidas.

Esse dado identifica cada um dos dispositivos conectados à rede, seja um smartphone, um computador ou um tablet, por exemplo. Sendo assim, cada um dos aparelhos conectados à internet possui um endereço IP.

A função do IP é permitir que sejam enviadas informações entre um dispositivo e outro pela web. Pacotes de dados são transferidos pela rede contendo os endereços de IP dos computadores em questão, possibilitando essa troca. Sem os endereços IP, não seria possível estabelecer essa comunicação nem enviar dados.

IPv4 e IPV6 seriam, então, versões do sistema IP. Vejamos a diferença entre IPv4 e IPv6.

 

Entenda a diferença entre IPv4 e IPv6

O que é IPv4?

Desde a criação da internet, o protocolo usado até então era o IPv4, que é a sigla para Internet Protocol version 4 ou, em português, Protocolo de Internet versão 4. Possui endereços no padrão 32 bits e sustenta cerca de 4 bilhões de combinações de endereços IP em todo o mundo.

No entanto, o IPv4 não possui mais capacidade de expansão para sustentar a demanda de internet global, além de já apresentar falhas de segurança. O número de combinações possíveis do IPv4 parecia inesgotável 30 anos atrás, mas, com o crescimento constante de dispositivos conectados e o advento de tecnologias como a Internet das Coisas, essa quantidade começou a ficar escassa. É por isso que já se iniciou a migração para uma versão mais avançada: o IPv6.

 

O que é IPv6?

O IPv6 é, então, a versão 6 do Protocolo de Internet, com endereços no padrão 128 bits. Ou seja, trata-se do sucessor do IPv4, uma vez que o antigo protocolo não mais suporta a demanda de endereços. Atuando em 128 bits, o IPv6 suporta cerca de 340 undecilhões de endereços, contra 4 bilhões suportados pelo IPv4.

Além do maior número de combinações, o IPv6 também simplifica as atribuições de endereços e traz recursos adicionais de segurança de rede. Um exemplo é o IP Security, que garante autenticidade, integridade e confidencialidade por meio de criptografia, embora o IPv4 conte com firewalls e outros dispositivos para garantir segurança.

 

Quando será feita a migração do IPv4 para o IPv6?

Você pode se perguntar por que, então, não migrar logo para o IPv6, se ele traz todas essas melhorias? Na verdade, a mudança está em processo. O IPv6 foi proposto em 1998, então já são mais de 20 anos de andamento, a passos lentos.

Isso porque realizar a troca do IPv4 para o IPv6 exige que software e roteadores sejam alterados para suportar o avanço da rede e isso demanda tempo e dinheiro. Então, hoje os protocolos ainda coexistem, funcionando paralelamente. Não há como prever quando o IPv6 substituirá o IPv4 por completo.

 

Como essa migração vai impactar os provedores?

Provedores que atuam com o IPv4 não precisam se preocupar por enquanto, já que a migração para o IPv6 está sendo lenta. Mas é importante se atentar em relação à aquisição de equipamentos antigos. Antes de adquirir, é preciso observar se há suporte ao IPv6. Do contrário, o equipamento pode se tornar obsoleto em pouco tempo.

Agora, se a aquisição for de equipamentos novos, não há com o que se preocupar, uma vez que todos já estão sendo produzidos com compatibilidade ao novo protocolo.

 

E para os clientes, o que muda?

Os provedores também não precisam se preocupar com impactos da mudança do IPv4 para o IPv6 para os clientes. Isso porque, como dissemos, essa migração não será de uma hora para outra.

Hoje, os sistemas operacionais dos dispositivos mais novos, tanto de smartphones quanto de computadores, já contam com IPv6. No entanto, pode ser que roteadores e servidores tenham que ser substituídos para suportarem o novo protocolo. Muitos ainda não suportam e isso  impossibilita a conexão entre um dispositivo com endereço IPv6 e um roteador ou servidor que só suporta IPv4. Mas também não há urgência. A substituição será gradativa.

E, então, ficou clara a diferença entre IPv4 e IPv6? Esperamos que este conteúdo tenha sido útil para você. Sugerimos também a leitura do infográfico “Tendências e novas tecnologias para o sucesso do seu provedor”. Fique por dentro das 7 tendências para provedores mais importantes do momento para você ficar de olho e garantir o sucesso da sua empresa.

tendências para provedores

 

Compartilhar:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comparar Produtos ()