Blog

Como escolher o modelo ideal de ONT para cada tipo de aplicação

As redes FTTx necessitam da utilização de uma ONT (Optical Network Terminal), o terminal onde os sinais ópticos transformam-se em sinais elétricos para uso nas instalações do cliente. A ONT e a OLT são os únicos dois elementos ativos de uma rede FTTx, possuindo transmissores e receptores e dois modos de operação (upstream e downstream), enquanto o restante da rede é composto por elementos passivos. Nas redes ópticas, a escolha ou instalação erradas desse equipamento podem desencadear uma série de problemas e comprometer a qualidade do serviço oferecido pelos provedores.

Como funciona uma ONT?

Fazendo uma analogia superficial, é possível comparar a ONT ao modem de uma internet ADSL, bastante utilizado na última década. No entanto, em redes FTTx, não há modem, mas há ONU, que executa basicamente a mesma função: conversão de sinais (ópticos em elétricos, no caso). A localização da ONT depende da arquitetura da rede de acesso, e pode estar longe ou mais próxima do usuário. No caso de FTTC e FTTB, a ONT passa a receber o nome de ONU (Optical Network Unit), pois nesse modelo de topologia ela torna-se uma unidade de rede que fica mais afastado do usuário e não o ponto final de rede. Já em FTTA e FTTH, esse equipamento se encontra junto do usuário final. Algumas funções das ONTs são concentrar tráfego até poder ser transmitido, fornecer acesso aos usuários e converter sinais ópticos em sinais elétricos para telefones, computadores e equipamentos em geral do usuário final.

Modelos de ONT

Para correto funcionamento da rede, a escolha do modelo de ONT é um passo fundamental. Existem modelos simples, com apenas uma porta Ethernet e também modelos bem mais completos com wi-fi, Ethernet, voz e saída RF para televisão. A quantidade de interfaces também pode variar e deverá ser escolhida conforme a necessidade do provedor, atualmente no mercado é comum encontrar desde equipamentos com somente uma interface Ethernet até equipamentos com interfaces Ethernet, FXS, USB e wi-fi. A realidade de cada operadora e, principalmente, o que a empresa oferece aos clientes, irá influenciar a escolha da ONT.

Ainda que seja tentador escolher um modelo que permita uma operação mais complexa, é necessário ter cautela. Explicamos: o processo de configuração da ONT é todo feito pelo próprio provedor e, quanto mais funcionalidades o equipamento permitir, mais conhecimento sobre estas funcionalidades o equipamento demandará. Portanto, é importante escolher uma fornecedora de tecnologia que, além de vender o produto, analise cada situação, oriente e, principalmente, ofereça suporte e treinamentos periódicos. Pequenas operadoras saem na frente quando amparadas por empresas de tecnologia desse porte – pense nisso!

Além da otimização da quantidade de fibras, também é possível a utilização da ONT em sistemas de Circuito Fechado de TV, para interligação de câmeras IPs com a centrais de gravação e monitoramento.

Restou alguma dúvida ou possui alguma sugestão sobre o assunto? Deixe abaixo pelos comentários.

 

4 comentários sobre "Como escolher o modelo ideal de ONT para cada tipo de aplicação"

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comparar Produtos ()