Blog

Cibersegurança: o que um provedor precisa para se preparar

Cibersegurança é um tema importante para todas as empresas que utilizam internet e tecnologia, mas para aquelas que têm ambas como o produto central do negócio, a prática é fundamental. Os ISPs permitem que os consumidores tenham acesso a diferentes recursos por meio da internet, mas ao mesmo tempo, sem a atenção necessária, podem expor seus clientes aos riscos da rede.

Entender o conceito de cibersegurança é fundamental para garantir uma utilização segura da rede de internet, proteger as informações dos clientes, evitar sanções para a empresa e fidelizar o consumidor. Continue lendo este artigo e saiba mais sobre cibersegurança, LGPD e boas práticas para manter os dados dos seus clientes protegidos.

Conceito de cibersegurança

O conceito de cibersegurança se refere à proteção de computadores, servidores, dispositivos móveis, sistemas eletrônicos, redes e dados. É aplicada com o objetivo de impedir ou mitigar ciberataques e ações de criminosos, para isso, é aplicada em diferentes contextos, como nas empresas, na comunidade e entre os provedores de internet. Por isso, a cibersegurança pode ser dividida em algumas categorias:

  • Segurança de rede: usada para orientar sobre a proteção de uma rede de computadores contra invasores;
  • Segurança de aplicativos: mantém software e dispositivos protegidos contra ameaças;
  • Segurança de informações: usada para proteger a integridade e a privacidade dos dados que estão armazenados ou sendo compartilhados;
  • Segurança operacional: utilizada no tratamento e proteção dos arquivos com dados, para determinar as permissões dos usuários para acessar redes, além dos procedimentos que determinam como e onde os dados serão armazenados ou compartilhados.

Diversas técnicas são adotadas na cibersegurança para evitar os ataques e os riscos para as informações e dados dos usuários, mas também é preciso investir em medidas que impeçam danos caso não seja possível impedir os incidentes.

A recuperação de desastres e continuidade dos negócios são processos que orientam e definem como uma empresa vai responder a um evento ou incidente que exponha suas informações. Por meio de uma política de recuperação de desastres, a empresa consegue restaurar sua operação, retomar a sua capacidade operacional e mitigar os danos de uma exposição, por exemplo.

As empresas precisam adotar planos de contingência, mas também precisam trabalhar de forma a evitar os riscos. Existem diversas maneiras de proteger as informações da empresa e os clientes devem ser envolvidos nesse processo. Isso porque um usuário pode facilitar a entrada de um vírus malicioso no sistema, por exemplo.

Oferecer conteúdo educativo sobre cibersegurança, quais atitudes oferecem riscos e como ter uma conduta mais segura na internet deve ser uma prática frequente entre os provedores.

Cibersegurança e LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) determina quais são as diretrizes que devem ser seguidas para proteger os dados pessoais de todos os brasileiros. O objetivo da lei é criar uma obrigatoriedade para que as empresas adotem práticas de segurança a fim de evitar vazamentos de dados. Para garantir isso, algumas sanções, como multas, foram definidas no texto da lei.

Uma das formas de cumprir com a lei é adotar práticas de cibersegurança. Isso quer dizer que medidas e processos serão criados e adotados por todos, além de monitorados para que a empresa consiga evitar os riscos e se proteger das ameaças que podem acessar sua rede.

As empresas que investem em cibersegurança tornam mais difícil o acesso a determinados arquivos, impede que dados sejam compartilhados de forma inadequada, transmitem maior confiabilidade para os colaboradores e clientes, mantém uma postura ética e aumenta a sua produtividade. Afinal, qualquer interrupção causada por uma falha de segurança, gera danos financeiros e operacionais para o negócio.

Quer aprender mais sobre LGPD? Aqui tem um guia completo para adequar seu provedor à lei de proteção de dados. Baixe agora!

internet-brasileira

Oportunidade para pequenos provedores

Embora seja um conjunto de práticas necessário para a integridade de qualquer negócio, ainda não são todas as empresas que oferecem um ambiente seguro para os dados de seus clientes. As invasões hackers continuam acontecendo e os dados das empresas sendo expostos na internet.

As empresas que adotam uma conduta diferente , além de atuarem de forma mais segura, conseguindo manter sua integridade, conseguem construir uma imagem positiva junto aos seus clientes.

Ao oferecer educação sobre cibersegurança, a empresa diminui os incidentes causados por falhas dos usuários e mostra que está preocupada em oferecer um ambiente mais seguro para os seus clientes. Além de fidelizar o público, os provedores reduzem os custos que teriam para minimizar os impactos de um ataque cibernético.

Dicas de boas práticas de cibersegurança

  • Mantenha todos os softwares e sistemas do provedor atualizados;
  • Invista em um bom antivírus para os computadores da empresa e oriente os clientes a fazer o mesmo;
  • Oriente os técnicos a cadastrar senhas fortes nos modens dos clientes e os clientes a fazer o mesmo com todos os sistemas que exigem senha;
  • O envio de e-mails infectados é uma prática de ataque cibernético comum. Técnicos e clientes devem evitar abrir e clicar em links de mensagens de remetentes desconhecidos;
  • O acesso a sites desconhecidos também deve ser evitado;
  • Redes de Wi-Fi abertas e em locais públicos deixam os usuários vulneráveis a ataques cibernéticos, por isso devem ser evitadas pelos clientes e, principalmente, pelos técnicos do provedor. 

Agora que você já sabe tudo sobre cibersegurança e como proteger o seu ISP, veja como planejar um ano de sucesso. Baixe o e-book de Planejamento estratégico para provedores.

Compartilhar:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comparar Produtos ()