Blog

Manutenção de redes ópticas: 7 ferramentas essenciais para não deixar o cliente na mão

A manutenção de redes ópticas é um assunto que divide opiniões. Os donos de provedores que já utilizam a tecnologia falam bem e defendem que a infraestrutura é uma das melhores para trabalhar. No entanto, quem não conhece teme que a manutenção de redes ópticas dê mais trabalho e gere um custo maior.

Por isso, diversos ISPs ainda não investiram na tecnologia. Neste artigo, você vai ver porque esse pensamento é um equívoco e quais ferramentas são essenciais para manter sua rede de internet em pleno funcionamento. Continue lendo e confira!

Mercado de fibra óptica cresce no Brasil

Durante a pandemia, o acesso à internet chegou a 83% dos domicílios no Brasil. O aumento vem, principalmente, da inclusão das classes C e D. É o que mostra a pesquisa do Cetic.br (Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação), divulgada em agosto de 2021.

Com relação à fibra óptica, especificamente, o aumento tem sido significativo desde 2017. Até o ano de 2020, de acordo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o número de acessos cresceu quase cinco vezes. O mesmo levantamento mostra ainda que 98,8% dos municípios no país já contam com algum provedor de fibra óptica.

O país conta com mais de 32 milhões de acessos à banda larga e a fibra óptica atende quase um terço desse total. Embora esteja se popularizando cada vez mais e atraindo atenção dos consumidores, ainda há quem veja a fibra óptica como um processo complexo e que exige uma infraestrutura rebuscada. 

A verdade é que investir em cabos ópticos pode ser até 52% mais barato do que trabalhar com os metálicos, além de otimizar em 50% o espaço ocupado pelos dutos.

Por que investir em fibra óptica?

Além do custo de manutenção ser mais baixo, as vantagens de investir na fibra óptica estão relacionadas, principalmente, à experiência do usuário. Essa tecnologia oferece maior velocidade, mais segurança de sinal e prevenção de falhas, além de suportar uma banda mais larga. 

No entanto, para que esses benefícios sejam aproveitados tanto pela gestão de provedores quanto pelos clientes, é necessário desenvolver um bom projeto, investir em equipamentos de qualidade e estar com a manutenção de redes ópticas sempre em dia.

Se você ainda acredita em alguns mitos sobre a Fibra Óptica propagados pela internet, acesse o conteúdo gratuito que o blog da Cianet preparou para você: “Verdades e mitos sobre a Fibra Óptica – o que você precisa saber sobre essa tecnologia”.

 

verdades e mitos sobre fribra óptica

 

Agora, se a gestão do seu provedor já avançou um pouco mais neste quesito, começou a trabalhar com fibra óptica e conhece as vantagens dos principais tipos de redes, continue a leitura deste artigo. 

Por outro lado, se você estiver pensando em investir em fibra óptica para o seu provedor, esse conteúdo também é para você. Nele, vamos mostrar algumas dicas de equipamentos para cuidar da manutenção da rede sem ter dores de cabeça

7 ferramentas essenciais para a manutenção de redes ópticas

1. Fiber ranger

Esse equipamento é necessário para realizar testes na rede. Por meio dele, é possível detectar perdas por reflexão ou atenuação, identificar em que distância a rede possui microcurvaturas, conexões por conectorização ou rompimentos de fibra. 

O fiber ranger também possui um identificador visual de falhas, permitindo a detecção visual de problemas em uma rede durante e após a instalação. Dessa forma, sua equipe técnica identifica o problema e vai diretamente ao ponto que precisa ser corrigido. Os técnicos trabalham de forma mais efetiva e otimizada.

2. Power meter PON

Imprescindíveis para a construção e a manutenção de redes ópticas, os power meters PON permitem validar as potências de transmissão de sinais de voz, dados e vídeo em aplicações triple play sob redes ópticas passivas

O power meter PON deve permitir que essas medições sejam realizadas simultaneamente. As potências aferidas serão da OLT, ONT e vídeo, e deverão ser comparadas com as potências calculadas no projeto de rede a fim de validar a implantação.

Com isso, você garante que a potência entregue ao cliente será exatamente aquela vendida em seu pacote.

3. Clivador de fibra óptica

O clivador é utilizado para realizar um corte preciso na fibra óptica, ou seja, a clivagem dela. Permite ajuste de ângulo para obter alta precisão, é compatível com fibras ópticas monomodo e multimodo. 

Um clivador de alta precisão garante uma fusão com uma qualidade superior devido a precisão do ângulo de corte da fibra óptica.

4. Decapador de fibra óptica

O alicate decapador de fibra óptica é fundamental para a implantação ou manutenção de redes ópticas. Este modelo de alicate deve possuir uma boa precisão para garantir que a qualidade das fibras não seja afetada nem sofra arranhões. 

Um alicate de qualidade deve possuir níveis de decapagem, como por exemplo:

  • decapagem de 2,0 ou 3,0mm de cordões e extensões ópticas;
  • decapagem do segundo revestimento;
  • e decapagem do primeiro revestimento ou acrilato.

5. Decapador de cabo drop low friction

Assim como o decapador de fibra, o decapador de cabo drop é também primordial para a instalação de clientes ópticos. O decapador de cabo drop somente retira a capa de revestimento do cabo drop, deixando a fibra exposta somente com o acrilato.

6. Máquina de fusão

Utilizada para realizar a fusão das fibras ópticas, é uma das ferramentas mais importantes na construção e manutenção de redes ópticas. Atualmente no mercado existem vários modelos de máquinas de fusão que podem ser desde manuais até totalmente automáticas. 

A escolha de uma máquina adequada para seu modelo de aplicação garantirá o resultado esperado com um ótimo custo-benefício.

7. OTDR

O OTDR é um instrumento de medição utilizado para fazer inspeção de rede óptica utilizando o princípio de Dispersão de Rayleight. Esse equipamento serve tanto para realizar uma validação de uma rede quanto para identificar um rompimento no cabo óptico. 

Ao validá-la,  o OTDR informa a atenuação por quilômetro do cabo, os pontos de fusão, conectorização e toda perda relevante na rede. Com este resultado, a instalação da rede pode ser apresentada e validada. 

Utilizando-o para identificar o rompimento da fibra, o OTDR irá realizar o mesmo modo de verificação e leitura. O último evento sempre é identificado como fim de fibra, sabendo a metragem que a fibra deveria ter, se o evento aferido for menor do que a distância total do cabo, a distância demonstrada é a distância onde ocorreu o rompimento.

Como a escolha das ferramentas influencia na manutenção de redes ópticas

Ter as ferramentas certas impede que erros sejam cometidos durante a manutenção de redes ópticas. Mas não é só isso, e também oferece diversas vantagens. A começar pelo tempo dedicado à manutenção

Quando o provedor tem as ferramentas certas, o técnico identifica o problema com mais rapidez. Dessa forma, não perde tempo procurando o problema ou tentando acertar o que pode ter causado uma falha.

O provedor também economiza dinheiro. Afinal, sem um direcionamento claro do que precisa ser corrigido, recursos são gastos e o provedor deixa de atender outro cliente. Isso impacta diretamente na satisfação do consumidor, que pode solicitar um cancelamento.

ISPs que não têm boas ferramentas para disponibilizar aos técnicos podem ter até um aumento na rotatividade dos profissionais. Bons técnicos não querem trabalhar com empresas que não oferecem boas ferramentas, pois isso prejudica o trabalho e a entrega. Depois de um tempo atuando nesse cenário, o profissional vai buscar uma oportunidade de trabalho melhor.

O investimento em boas ferramentas é importante, mas não é o único ponto de atenção. O provedor também deve:

  • Garantir que elas estejam sempre em bom estado;
  • Montar kits de ferramentas para cada técnico trabalhar;
  • Estar atento para as demandas e necessidades dos profissionais;
  • Acompanhar as atualizações e tendências em ferramentas do mercado;
  • Orientar e exigir organização dos profissionais no armazenamento das ferramentas;
  • Investir em ferramentas de qualidade confiável, ou seja, de um bom fornecedor.

Estar sempre informado sobre as melhores práticas do mercado é importante para investir em equipamentos, ferramentas e recursos de qualidade. Isso faz com que o provedor ofereça um bom serviço, atenda às expectativas dos consumidores e atraia cada vez mais clientes.

Agora que você já conhece essas ferramentas essenciais para manutenção de redes ópticas, veja se você está cobrando o preço certo pelos seus serviços neste Guia de Precificação.

Compartilhar:

3 comentários sobre "Manutenção de redes ópticas: 7 ferramentas essenciais para não deixar o cliente na mão"

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comparar Produtos ()