6 tendências tecnológicas para você ficar de olho e se preparar para o futuro

6 tendências tecnológicas para você ficar de olho e se preparar para o futuro

por Mariana Forlin | 13.06.17 | em Gestão e boas práticas

Há algumas décadas novos conceitos têm surgido no vocabulário tecnológico e pouco a pouco transformam nosso dia a dia. As VPN (Redes Privadas Virtuais), o Bluetooth e o Wi-Fi, por exemplo, mudaram completamente a forma como trabalhamos. Hoje, essas tecnologias já estão bem incorporadas em nossa rotina. Mas o que vem pela frente? Robôs que interagem com consumidores, máquinas e aparelhos cada vez mais inteligentes são algumas das tendências tecnológicas que devemos ficar de olho.  

E por que devemos ficar antenados a essas transformações? Simples! É possível que a gestão dos provedores acabe encontrando novas oportunidades para seus produtos e serviços. Ficou interessado? Acompanhe abaixo algumas dessas tendências tecnológicas.

Tendências tecnológicas para ficar de olho hoje mesmo

Chatbots

Essa é uma das tendências tecnológicas mais difundidas no mundo. Os motivos são muitos. O aumento do número de smartphones, que já somam mais de 4 bilhões pelo planeta, é um deles. Outro é o fato de que essa tecnologia atinge desde as grandes corporações até as pequenas startups.

Baseados em inteligência artificial, os robôs auxiliam os usuários em situações que vão do funcionamento de determinado produto a pedir uma pizza. Para se ter uma ideia, o Gartner prevê que em 2020 "as pessoas vão conversar mais com bots do que com seus cônjuges”. Outro dado interessante da consultoria é que, em 2018, mais de três milhões de trabalhadores no mundo serão liderados por chefes robôs.

Blockchain

O blockchain funciona como um livro contábil, mas de forma pública, e possibilitou a criação do bitcoin, a moeda virtual mais difundida no mundo. Por sua característica disruptiva já tem sido chamado de Internet dos Negócios. Essa é uma tendência tecnológica que segue um ritmo mais lento do que as demais por conta de desafios regulatórios e de compliance. Mesmo assim, alguns projetos foram colocados em prática nos últimos dois anos.

Em 2022, segundo o Gartner, a empresa de serviços Blockchain deverá faturar US$ 10 bilhões. Já um estudo da Capgemini sugere que os consumidores poderiam economizar mais de US$ 500 dólares em taxas bancárias e de seguros na compra de uma casa, por exemplo, graças a essa tecnologia.

Internet das Coisas (IoT) e máquinas inteligentes

Outra tendência tecnológica que ganha cada vez mais força é a Internet das Coisas (IoT). Teremos nos próximos anos e décadas mais “coisas” inteligentes, ou seja, objetos que por meio de sensores compartilham dados e informações para realizar tarefas. A previsão da IDC é de que o ecossistema de IoT no Brasil dobre de tamanho até o final da década, superando US$ 13 bilhões.

Esse avanço estará conectado com o uso de Analytics, e com computação em nuvem, que será a plataforma para processamento desses dados - até 2019, 43% dos dados de IoT serão tratados na nuvem. Segundo estudo da Capgemini, até o final de 2022, 21% dos executivos esperam que suas fábricas sejam inteligentes, com liderança dos setores como aeroespacial e defesa, fabricação industrial e automotiva. Quer saber mais como esses dispositivos podem contribuir para o aumento na carteira de cliente dos provedores? Acesse o artigo: IoT: quais os desafios e oportunidades para serviços de internet

Realidade aumentada/virtual (AR/VR)

A tecnologia AR (realidade aumentada) ganhou fôlego no último ano com o lançamento do Pokemón GO. Mas a ferramenta não se limita ao entretenimento. Até 2020, segundo o Gartner, 100 milhões de consumidores farão compras por meio da realidade aumentada. Junto com ela, a VR (realidade virtual) também deve vir com força. A previsão da IDC é que o mercado brasileiro dobre em unidades, ultrapassando a barreira dos 100 mil produtos de AR/VR.

A estimativa é que uma em cada dez das maiores empresas voltadas para o consumidor, experimentará AR/VR como parte de seus esforços de marketing ainda em 2017.

Fim dos apps

Nos últimos anos, vimos um crescimento exponencial do número de aplicações. De pizzarias a veículos de comunicação, as empresas acreditavam que essa era a forma mais eficaz de chegar ao seu consumidor. Pouco a pouco, no entanto, o download desses apps tem reduzido.

De acordo com pesquisa da Forrester Research, 84% das pessoas utilizam apenas cinco aplicativos por mês. As companhias, por sua vez, perceberam que o retorno sobre o investimento (ROI – Return on Investment) desse tipo de ferramenta é praticamente insignificante e têm freado seu crescimento. Segundo o Gartner, até 2019, 20% das marcas abandonarão seus aplicativos móveis.

Multicloud e cloud brokers

A migração das empresas para a nuvem com o objetivo de reduzir custos e aumentar a competitividade deve lançar luz aos Cloud Brokers. “Até 2018, 85% dos ambientes serão multicloud, conjugando serviços de mais de uma nuvem pública para atender suas necessidades de negócios, não só por uma questão de custos, mas também das capacidades de cada provedor. Os brokers vão se tornar grandes intermediadores, ajudando as empresas na tomada de decisões e no gerenciamento desses ambientes”, comenta Luciano Ramos, gerente de Pesquisa e Consultoria de Software e Serviços da IDC Brasil. A previsão é de que eles representem 50% da receita dos provedores até 2020.

Essas mudanças impactam profundamente os mercados e podem transformar toda a forma como se entregará internet no futuro. É um sinal de alerta para os provedores, que precisam investir constantemente na melhoria de suas estruturas para atender uma demanda crescente de internet de alta velocidade e suportar o grande fluxo de dados. Também é preciso estar atento às novas demandas e novos comportamentos dos consumidores gerados com estes avanços tecnológicos. Muito além de levar internet, os provedores devem se preocupar em oferecer uma experiência cada vez melhor e garantir a segurança dos dados em meio a tantos dispositivos conectados e meios de compartilhamento.   

É preciso ser mais ágil! Pergunte-se todos os dias: como fornecer recursos tecnológicos da melhor forma possível? Os ISPs devem ter um olhar atento ao mercado para se reinventar sempre que possível.

E então, o seu provedor está pronto para as oportunidades que podem se abrir com essas tendências tecnológicas? De qualquer forma, separamos para você mais um conteúdo educativo gratuito, que pode ser muito útil nesta jornada: Como se tornar um provedor de sucesso - dicas para vender melhor com pouco investimento.