O que a gestão de provedores pode aprender com a cultura startup?

O que a gestão de provedores pode aprender com a cultura startup?

por Cianet | 09.12.16 | em Gestão e boas práticas

As startups revolucionaram a forma de fazer negócios. No começo, era considerada uma empresa jovem e pequena que surgia para resolver problemas com uma solução diferente da que o mercado dispunha.  Mas com o tempo, gigantes como o Google, a Microsoft e o Facebook passaram a adotar o termo também. A cultura startup já chegou ao mercado financeiro,  mobilidade urbana, educação e, em breve, deve motivar mais setores. Esse fenômeno visa promover a inovação corporativa e já está mais do que na hora de ser aplicado na gestão de provedores.

De que cultura startup estamos falando?

Para entender do que trata a cultura startup é necessário ter claro o que é uma cultura organizacional, que nada mais é do que os hábitos, valores, normas e atitudes compartilhadas pelos membros de uma mesma empresa. O que a cultura startup tem a ver com essa cultura corporativa? Simples. Uma das premissas dessa forma de gerenciar é construir uma corporação na qual  motivação, reconhecimento e produtividade sejam ferramentas para alcançar o sucesso do negócio.

3 boas práticas da cultura startup para a gestão de provedores colocar em prática hoje

Envolvimento dos colaboradores

É necessário que as pessoas que trabalham na organização façam parte do negócio. Esqueça a palavra “funcionário”, na cultura startup a colaboração entre os profissionais é estimulada diariamente. Como eles não são apenas subordinados e sim pessoas importantes para as tomadas de decisão na empresa, o foco dos colaboradores passa a ser gerar resultados e resolver problemas o mais rápido possível. E como fazer para colocar isso em prática?

Primeiro elimine as salas e as divisórias. O que a Netflix, o Twitter e a Amazon tem em comum? Essas empresas derrubaram as paredes que separavam o chefe dos subordinados, tão comum numa empresa tradicional. A própria Cianet adotou este modelo open space: aqui não há divisórias, as mesas são próximas umas às outras e os ambientes são mais iluminados e aconchegantes.

Para colocar essa colaboração em prática na gestão de provedores, você pode por exemplo, propor um encontro mensal para que os profissionais possam compartilhar os aprendizados e dificuldades vivenciadas naquele mês, promover eventos recreativos - como comemoração de aniversários e happy hour - e oferecer feedback contínuo.

Estimule as ideias inovadoras

Inovação não é quando a empresa compra novas tecnologias que vão facilitar o dia a dia da corporação. A inovação pode ser desde a mudança no fluxo de trabalho até o lançamento de um produto novo. Mas para as ideias inovadoras saírem do papel é necessário engajamento da equipe e um gestor que consiga motivar os colaboradores a não resistirem às mudanças que a inovação traz para uma organização. A Natura, por exemplo, criou uma plataforma onde lança desafios. Nela, a empresa divulga o que precisa ser desenvolvido e recebe propostas de como resolvê-lo.

Se você acha que a inovação não pode fazer parte da gestão de provedores, confira abaixo algumas dicas:

  • Estimule ideias que possam otimizar processos
  • Implemente uma nova forma de recrutamento de colaboradores
  • Crie uma nova forma de comunicação na empresa

A cultura startup foi baseada na tentativa e no erro. Assim, uma das dicas de ouro quando falamos em inovação é não desprezar nenhuma ideia inovadora sequer, por mais difícil que ela pareça de ser implementada. Outras boas práticas são: seja transparente com sua equipe, delegue tarefas e dê autonomia para os profissionais que trabalham junto com você, crie momentos para troca de conhecimento e coloque em prática uma equipe autogerenciável. A gestão de provedores só tem a ganhar!

Transparência

Em um ambiente onde as tomadas de decisão são feitas com as portas fechadas, há pouco espaço para as ideias inovadoras saírem do papel. Conquiste a confiança dos seus colaboradores e isso só acontece por meio da transparência de suas ações. Reduza o número de divisórias, comunique sua equipe das mudanças que ocorrem na empresa, faça cursos de capacitação para gestores e também para sua equipe técnica continuamente, dê feedback sobre os desempenhos de cada colaborador e não esqueça de compartilhar as decisões que podem impactar diretamente o trabalho de sua equipe.

E você tem alguma outra boa prática da cultura startup que pode otimizar a gestão de provedores? Divida conosco nos comentários!